Escultura e Narrativa


Semana passada, vimos um pouco sobre a arte egípcia e começamos a ver sobre a grega. Hoje vimos sobre a Grécia, sua relação com Roma e o início da era cristã.

Grécia (continuação)

O período helenístico (338-146 a.C.) se deu entre a morte de Alexandre o Grande e a anexação do território grego pelos romanos. Sua arte caracterizava-se principalmente por esculturas não mais apenas de um indivíduo, mas também de dois ou mais. Tais grupos escultóricos passavam maior sensação de movimento e, mais importante, eram capazes de representar o "ponto trágico" de uma narrativa. Nesse período, além de jovens, também eram representadas figuras de velhos e crianças, como da imagem acima.

O grandioso Coliseu de Roma.

Roma

Como disse o poeta romano Horácio "A Grécia cativa, cativou seu rude conquistador". Isso significa que muito da cultura e da arte gregas foram absorvidas pelo Império Romano (27 a.C. – 476 d.C.) quando este a anexou. Um dos maiores exemplos disso foi o uso de colunas dóricas, jônicas e coríntias na fachada do Coliseu de Roma. Mas com implementações, como o arco arquitetônico. Além disso, os romanos fizeram muitas esculturas semelhantes (até mesmo copiaram) as esculturas gregas. Contudo, quando se tratava de um retrato do imperador, não faziam um "vulto redondo" (veja sobre o termo na postagem anterior).

O Bom Pastor da Catacumba de Priscila, Roma.

Arte Paleocristã

Entre os séculos I e V, no auge do do Império Romano, surge a primeira produção cultural no mundo cristão:
Antes do início do século II os cristãos, sendo um grupo minoritário perseguido, pode ter sido coagido por sua posição a não produzir obras de arte duradouras. Uma vez que nesse período o cristianismo era uma religião exclusiva das classes mais baixas, a falta de arte sobrevivente pode refletir uma falta de recursos para patrociná-la. Os primeiros indícios claros na afirmação de um estilo próprio cristão surgem em inícios do século II, sendo seu expoente as pinturas murais nas catacumbas romanas, lugar de culto e refúgio cristãos.
(ARTE PALEOCRISTÃ. In:WIKIPÉDIA. Acesso em: 30 abr. 2014.)
Nessa primeira produção, vemos o uso de imagens bidimencionais como forma de narrativa simples e o surgimento dos principais símbolos e temas do cristianismo, como, o trigo e a uva (simbolizando o pão e o vinho) e a valorização do mártir e do sofrimento (de Cristo ou dos Santos).