Uso do Compasso


Para as duas últimas atividades, fizemos o uso de compasso com adaptador para lapiseiras, uma de ponta grossa e outra de ponta fina.

Na primeira atividade de hoje, tivemos que encontrar o ponto central da área de desenho. Para isso, bastou traçar linhas invisíveis diagonais a partir dos cantos dessa área. Onde essas linhas se cruzam é o ponto em que colocamos a ponta seca (agulha) do compasso. Mas antes de usá-lo, traçamos uma linha invisível na vertical e outra na horizontal, passando pelo centro. Feito isso, desenhamos o primeiro círculo com a abertura do compasso (raio) equivalente a 8cm. Sendo que os quadrantes superior-esquerdo e o inferior-direito deveriam ser com linha larga e visível e os demais com linha estreita e visível. Cada círculo seguinte tinha o raio com 1cm a menos que o anterior e seguia o mesmo padrão.

Na segunda atividade do dia, traçamos uma linha vertical invisível que passava pelo centro da página. Nessa linha, fixamos a ponta seca do compasso em um ponto a 8cm da margem superior e traçamos um círculo com 7cm de raio. Sendo que à esquerda da linha vertical o traçado era com linha larga e visível e à direita com linha estreita e visível. Em outro ponto da vertical, a 8cm de distância do primeiro, traçamos outro círculo com 7cm de raio. Sendo que, nesse caso, o traçado era o inverso do anterior: à esquerda a linha era estreita e visível e à direita era larga e visível. Como na atividade anterior, cada círculo seguinte tinha o raio com 1cm a menos que os primeiros e seguia o mesmo padrão do qual era concêntrico. O importante aqui era que as linhas largas dos círculos superiores estivessem ligadas às linhas largas dos círculos inferiores, formando um S. O mesmo valeu para as linha estreitas, só que formando um S invertido.

Veja na imagem acima os resultados.